terça-feira, 22 de janeiro de 2013

A lei do livro na biblioteca

Todo bom pesquisador de Wikipedia sabe bem como definir o que quer que seja a tal da palavra biblioteca. Do grego βιβλιοϑήκη, composto de βιβλίον - "livro" - e ϑήκη - "depósito" -, como diziam os professores de língua clássica, a expressão designa o local onde se armazena o livro. Mais tarde, e mais democraticamente falando, esse espaço começou a abranger distintas formas de informação, virtual e física.  Livros, revistas, monografias e registros de diferentes gêneros - em mídias como o CD, o DVD ou a  tradicional folha de papel - dividem as prateleiras ao alcance da mão de qualquer leitor.

Biblioteca Pública Municipal de Porto Alegre Josué Guimarães
O responsável pela organização, armazenamento e tratamento das informações recolhidas na biblioteca é o bibliotecário. Aquela velhinha, de olhos mal humorados e óculos cegos de poeira, já é figura brega. A moda dos livros agora é outra. Hoje o bibliotecário, de tênis nike, chiclete  e instagram no celular, não perde tempo - é rápido. É ligado. Não tem cerimônia.

E não é à toa que, baseado nos princípios e leis da Biblioteconomia, ele segue os mandamentos mais-que-sagrados do pensador indiano Ranganathan. Enfim, são eles:

1. Os livros são para serem usados – o livro é um meio que impulsiona o conhecimento. Podemos concluir que a importância de uma biblioteca é crucial: “quem tem informação, tem poder”. O livro pode ser encarado como um meio e não como um fim em si mesmo.

2. Todo o livro tem o seu leitor – destaca-se a difusão da informação. Devem divulgar-se os livros existentes em cada biblioteca. Aponta-se para a importância da divulgação do livro e da sua difusão, antecipando a estética da recepção.

3. Todo o leitor tem o seu livro – a Biblioteca deve conhecer bem os seus leitores, observando-os para preparar o acervo. Aponta-se para a seleção de acordo com o perfil do utilizador.

4. Poupe o tempo do leitor – uma boa catalogação e arrumação dos documentos diminui o tempo necessário para encontrar a informação desejada. Aponta-se para o livre acesso às estantes, o serviço de referência e a simplificação dos processos técnicos.

5. Uma biblioteca é um organismo em crescimento - a Biblioteca deve controlar esse crescimento, verificando qual a informação que está a ser usada, através de estatísticas da consulta e empréstimo. Decorre da explosão bibliográfica que exige atualização das coleções e previsão do crescimento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário