quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Prêmio Açorianos: Borralheiro


O poeta, cronista e jornalista Fabrício Carpinejar, autor de Borralheiro: minha viagem pela casa (Bertrand Brasil, 2011), é finalista do Prêmio Açorianos de Literatura 2012 na categoria Crônica. Vencedor do Prêmio Açorianos de Literatura 2010 - também na categoria Crônica -, com Mulher Perdigueira, concorre ao prêmio desse ano juntamente com Airton Ortiz (Jerusalém) e Ricardo Giuliani Neto (Nas coxias do poder).

Diz-se que o Borralheiro é o novo homem do lar. O homem que é romântico, que olha o alheio; que coloca a roupa no varal; que faz a janta, arruma a cama; que expõe seus sentimentos sem vergonha. Homem esse que, por exemplo, cuida carinhosamente do seu perfume, do seu cheiro, pensando em quão agradável será ao nariz de sua companheira:
Passeando pelo mercado de Belém, encontrei a verdadeira farmácia popular. Frascos e frascos encordoados para a venda. Garrafadas para derrame, hipertensão, inflamação, diabetes. Adoecia com vontade de testá-las na hora. Um sem-fimde chás curativos, poções miraculosas, receitas infalíveis.

A vendedora lembrava uma cigana.

- Vem aqui, meu bem!

Eu fui, convicto de que ouvir não compromete. Mas compromete, sim.
(trecho retirado da crônica Perfume do boto)

Nenhum comentário:

Postar um comentário