segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Retrospectiva Açorianos: 2006

Vencedor na categoria de livro do ano: Teresa, que esperava as uvas e outros contos, de Monique Revillion 

Um livro de contos foi o grande chamariz de 2006.  A publicação de Monique Revillion, ganhador nesta categoria literária, também recebeu o troféu como sendo o melhor livro do ano. A obra de estreia da autora nasceu determinada a não ser esquecida facilmente. Andante da literatura de Clarice Lispector e interessada na técnica de fluxo de consciência, apresentada à literatura principalmente por Édouard Dujardin em Os loureiros estão cortados, Monique consegue fazer uma escrita intimista, bem elaborada e com traços únicos de criatividade.

A obra é formada por 36 contos que passeiam por temas como amor, sexo, amizade e velhice. Diante desses assuntos universais, a autora os apresenta com um novo revestimento, os tornando sedutores e um exercício a reflexão – não ao entendimento. A própria afirma que escreve sobre “gente e seus sentimentos” e sabemos que uma das principais características desse tipo de coisa é não ser sócio da fácil compreensão. Fidelidade que só a boa literatura pode trazer. 

Luís Fernando Veríssimo, no prefácio do livro, declarou que a autora possui uma voz própria, uma voz poderosa e firme que se estilhaça e se irradia, como um prisma, para iluminar nossos sentidos. Monique garante que o que a fascina é a emoção, e é para essa poder trafegar que ordena suas palavras. 

A escritora, também jornalista e professora universitária, é uma entusiasta do conto. Segundo a própria, esse tipo de texto tem uma força e concisão únicas. A questão do cuidado com as palavras a serem escolhidas, a economia de expressões, é algo que a agrada. Apesar dessa preferência, Monique também se dedica em outras alas do literário. Escreve também textos teatrais e poemas. Além do Prêmio Açorianos de Literatura, foi premiada em segundo lugar no Concurso Nacional de Contos Josué Guimarães, em 2001, e finalista, em 2004, do prêmio Casa de Cultura Mario Quintana, com o mesmo livro. A escritora também é dramaturga e faz parte do grupo de estudos de dramaturgia DRAN. Após a publicação dessa obra, lançou Quatro Quartos (2009) e nesse ano sairá seu terceiro livro Teatro com Graça – antologia de textos teatrais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário