quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Entrevista: Zilá Bernd

Finalista do Prêmio Açorianos de Literatura 2011 na categoria Ensaio, o Dicionário das mobilidades culturais: percursos americanos, organizado pela professora e pesquisadora Zilá Bernd, retrata o aspecto migrante, híbrido, transitório das sociedades contemporâneas nas Américas a partir de textos de especialistas familiarizados com o assunto.

A Coordenação do Livro e Literatura realizou uma entrevista por e-mail com a organizadora da obra, na qual ela apresenta o processo de produção de textos para o livro e expõe a necessidade de entender a importância das mobilidades culturais.
 
Enquanto organizadora da obra, enfrentaste o dilema de seleção de textos para inclusão? Algum autor ou ensaio não encontrou oportunidade de ser publicado nesta obra?

Os 20 artigos ou "verbetes" foram na realidade redigidos a partir de convites feitos a pessoas que já haviam escrito teses, dissertações ou livros sobre o tema. Queríamos de fato textos de especialistas, de pesquisadores muito familiarizados com algum dos tipos de mobilidade cultural que selecionamos previamente, no âmbito de nosso grupo de pesquisa sobre as "Questões de hibridação cultural nas Américas".

A cultura contemporânea é composta de mobilidades, adquirindo aspectos de fluidez, migrância. Qual o desafio de analisar este panorama? Essas características surgiram com o pós-modernismo ou sempre existiram no cerne cultural americano?


As sociedades contemporâneas são profundamente marcadas por toda sorte de mobilidades, que ocorrem no espaço e no tempo, através de deslocamentos, de movimentos migratórios, de diásporas e exílios muitas vezes traumáticos causados por guerras, conquistas, disputas territoriais ou necessidades de buscar novos  mercados. Esses trânsitos e passagens migratórias trazem importantes consequências econômicas, linguísticas e culturais, fazendo surgir novas culturas e literaturas ditas migrantes, como são denominadas por alguns, híbridas, mestiças ou ainda trans-nacionais, como são definidas por outros.  Nas Américas entender essas mobilidades revela-se de grande importância, pois elas afetam diretamente a produção cultural e literária.

Dentro de um certo 'nomadismo' presente na cultura, o quão difícil é, para o pesquisador, conceituar comportamentos culturais quando as próprias conceituações estão sujeitas a mudança?

Tens razão, a própria terminologia é móvel, em permanente movimento, surgindo a cada década novas tendências terminológicas. Não foi nosso intuito acompanhar esses modismos todos, mas utilizar uma certa terminologia já estabelecida e, em um primeiro momento, refletir sobre o que cada termo significa e suas várias acepções de acordo com diferentes autores e regiões. Depois, e acho que isto é algo importante do livro, cada autor fornece exemplos de textos literários escritos nas quatro línguas predominantes das Américas, logo em português, espanhol, inglês e francês, extraídos de diferentes áreas culturais das três Américas.
     

Nenhum comentário:

Postar um comentário