terça-feira, 22 de novembro de 2011

Figos maduros

O livro de estreia Jorge Bledow é um dos três finalistas do Prêmio Açorianos de Literatura 2011 na categoria Crônica.
Figos Maduros (Literalis, 2010) , primeiro livro de Jorge Bledow, ressalta a marca do gaúcho interiorano pelo ponto de vista de um autor que, não por acaso, pertence a esse mesmo gênero. Reunindo 55 textos, que transformam cenas minúsculas, impressões passageiras e cacos de vida em literatura, o livro revela dois significados para a palavra "interior". Enquanto um representa o interior geográfico, mais precisamente o interior gaúcho, o outro nos aflora o "coração matuto", como diz o próprio autor.

Nas crônicas de Bledow, há sempre um contraste entre esse mundo interior (geográfico e pessoal) e o exterior, entre o que é público e o que é privado. Como na crônica  Esse Getúlio!, cujo trecho reproduzimos abaixo:

Que Getúlio Vargas foi o Presidente do Brasil, isso ninguém discute. Que ele ainda influencia a política brasileira, também sabemos. Mas e na vida particular de cada um? Será que Getúlio Vargas teve ou tem alguma influência?

Vejam meu caso.

Num segundo dia de Páscoa, naquele tempo se respeitava a Quaresma, do ano de 1954, meu pai conheceu minha mãe, num baile de sociedade, lá na Boa Vista da Romana, no interior de Três Passos. Devia ser mês de abril daquele ano. Dançaram umas marcas, tomaram gasosas na mesa, quem sabe, uma cervejinha, encontraram-se duas ou três semanas depois, e mais umas quatro vezes, no máximo, e, eis que chega o fatídico 24 de agosto de 1954. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário