quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Tarsila: 125 anos em livros

Hoje, comemora-se os 125 anos de uma das mais importantes artista da história do Brasil: Tarsila do Amaral.
Falar o quão fundamental foi Tarsila no movimento modernista brasileiro ou para as artes plásticas, não traria nada de novo para os nossos leitores. Por isso, levamos Tarsila para a literatura e selecionamos algumas obras sobre a artista!


Tarsila do Amaral, Nereide Schilaro Santa Rosa – 1998
Infanto-Juvenil, Callis, 40 páginas, R$ 23,90

Este livro conta a leitor a respeito de Tarsila do Amaral. Sua vida foi a pintura. Uma pintura que cativou, discutiu, polemizou, despertou nossas raízes, nossa cultura, nosso povo. Uma mulher brasileira ... uma mulher corajosa, digna de representar a Arte Moderna Brasileira.


Correspondência Mario de Andrade Tarsila do Amaral, Aracy Amaral (org.) – 2001
Biografia/Cartas, EDUSP, 240 páginas, R$ 52,00

Ultrapassando as fronteiras da amizade, as cartas trocadas por Mário de Andrade e Tarsila do Amaral oferecem ao leitor um contato direto com algumas das questões mais candentes que impulsionaram os artistas do período. Mostram o interesse pela atualidade das tendências artísticas internacionais, aliado à preocupação com a cultura brasileira, além de revelar detalhes dos processos de criação de dois dos maiores nomes do modernismo brasileiro. Organizado pela historiadora e crítica de arte Aracy Amaral, o volume inclui uma série de notas explicativas e a análise material dos manuscritos ao final de cada texto, cronologia, caderno de fotos e reproduções de diversos outros documentos, entre eles catálogos de exposições de Tarsila no período modernista.


Tarsila, Maria Adelaide Amaral – 2004
Artes/Teatro, Globo, 88 páginas, R$ 22,00


Momentos cruciais da vida de Tarsila estão presentes nesta obra, como a conturbada paixão por Oswald de Andrade, as confidências junto a Mário de Andrade, as graves dificuldades financeiras trazidas pela crise de 29, a prisão em 1932, o estremecimento da relação com Anita Malfatti. Mas, sobretudo, a autora dá a conhecer a lucidez e dignidade que a transformaram em uma mulher à frente de seu tempo, encontrando na arte o impulso para a vida.


Para Tarsila, Aline Isaia – 2006
Poesia, Alegoria, 74 páginas, R$ 24,00


Em 'Para Tarsila', Aline faz uma releitura-poética oportuna do modernismo resgatando as verdadeiras raízes do Brasil onde estão presentes as cores, o sentimento, a religiosidade, o aroma que Tarsila do Amaral colocou em suas telas e inspirou poetas como Oswald de Andrade, Mario de Andrade, Carlos Drummond de Andrade e agora Aline Isaia. A apresentação do mesmo é da sobrinha Tarsila Amaral.


Crônicas e outros escritos de Tarsila do Amaral, Laura Taddei Brandini - 2008
Contos e Crônicas, UNICAMP, 752 páginas, R$ 72,00


Além de pintora fundamental para o desenvolvimento do ideário modernista brasileiro, Tarsila do Amaral é também autora de vasta produção escrita, publicada quase integralmente em jornais de São Paulo e do Rio de Janeiro entre 1936 e 1956, e que engloba poemas, crônicas e um conto. Em sua maioria inéditos em livro, seus textos lançam luzes sobre facetas da artista pouco estudadas, porém bastante ricas, como, por exemplo, sua visão do meio artístico-cultural de São Paulo e, sobretudo, as estreitas relações da pintora com a cultura francesa, presentes nas crônicas. Nesses textos, as lembranças dos encontros com artistas europeus de vanguarda e uma extensa bibliografia francesa traduzida e comentada compõem a ponte que liga a autora Tarsila a seus leitores, e que passa pela França.


Tarsila, menina pintora, Lucia Fidalgo – 2009
Infanto-Juvenil, Paulus, 16 páginas, R$ 15,50

O livro conta a história da menina nascida numa fazenda em Capivari, interior de São Paulo, e que se tornou uma das artistas mais importantes no Brasil e no mundo. A obra aborda sua família, seus estudos, suas viagens, seus casamentos e suas influências. Além disso, procura explicar, de forma simples, o objetivo de alguns de seus trabalhos, como o Abaporu, considerado o quadro mais importante feito no Brasil, no qual Tarsila inspira o movimento modernista antropofágico. A autora também aborda, de forma breve, a Semana de Arte Moderna e o grupo dos cinco - Tarsila do Amaral, Oswald de Andrade, Anita Malfatti, Mário de Andrade e Menotti Del Picchia, os quais tomam a frente do movimento modernista no país, alvo de críticas e discordâncias.



Ai vai meu coração - As cartas de Tarsila do Amaral e Anna Maria Martins para Luis Martins, Ana Luisa Martins – 2010
Biografia/Cartas, Global, 248 páginas, R$ 45,00


Fim dos anos 1950, uma menina, ao remexer uma gaveta com quinquilharias e velhas fotografias, descobre um segredo de família. Seu pai, antes de se casar com sua mãe, viveu dezoito anos com outra mulher... A menina é a autora do livro, seu pai, o conhecido jornalista e crítico de arte Luís Martins, sua mãe, a escritora Anna Maria Martins e, para completar, a outra mulher é Tarsila do Amaral. Depois que o triângulo amoroso deixou de ser segredo, a menina continuou carregando o assunto com discrição, afinal, por conta dessa história, sua mãe foi deserdada e uma boa parte da tradicional família Amaral rompeu com todos eles.




O site oficial da Tarsila do Amaral é bem interessante, acessem!

Nenhum comentário:

Postar um comentário