terça-feira, 31 de maio de 2011

Literatura para além da obrigação

Um dos maiores clássicos de nossa literatura, Memórias Póstumas de Brás Cubas foi publicado pela primeira vez em volume no ano de 1881, antes, o livro havia sido lançado através de folhetins. São muitos os aspectos que poderíamos abordar sobre a obra: a filosofia, a ironia, a complexidade do narrador; mas destacaremos aqui o fascinante capítulo 7 intitulado O Delírio.

cena do filme homônimo de André Klotzel

Em um dos raros momentos fantásticos na obra do Bruxo do Cosme Velho, o capítulo recompõe 30 minutos em que a sandice toma conta de Brás Cubas e ele é conduzido no lombo de um hipopótamo até o início dos tempos. Nesta vertiginosa jornada através dos séculos, cruzam o Éden e chegam até Pandora, a origem de tudo. Pandora ou Natureza lança-lhe o enigma: “sou tua mãe e tua inimiga”, Cubas recusa-se a decifrá-la. Segue-se então uma troca de desafetos em que Cubas demonstra temor e admiração misturados com um descrédito à figura lendária.

ilustração de Marilda Castanha para o livro infantil

Nesta passagem em que mitologia, sonho e ficção se confundem, podemos estabelecer uma aproximação literária entre o gênio brasileiro e o argentino Jorge Luis Borges. Borges em suas Ficções também rompe a linearidade da história e cria enredos que avançam em direção contrária ao tempo linear.





O Delírio. Ilustrações de Marilda Castanha. Companhia da Letrinhas, 2010. 48 ps.; R$ 27,00.








Memórias Póstumas de Brás Cubas. Globo, 2008. 280ps.; R$24,50.




Esse livro está disponível em nossa biblioteca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário