quarta-feira, 13 de abril de 2011

+ que Prosa conversa com Luís Augusto Fischer

O projeto + que Prosa recebe nesta quinta-feira, às 18h30min, Cláudio Moreno e Luís Augusto Fischer para conversar sobre ensino de Língua e Literatura. Para início da prosa, Luís Augusto Fischer responde:
CLL – Quais são os desafios de um professor de literatura?
Luís Augusto Fischer – Temos dois objetivos distintos que costumam ser confundidos. O primeiro é fazer os alunos gostarem das leituras; o segundo é explicar as leituras com a devida referência teórica e análise técnica.

CLL – Há livros que funcionam e outros que não funcionam em sala de aula?
Fischer – Sim. A recepção de determinada obra literária depende primeiro da realidade dos alunos, alguns textos só serão plenamente lidos quando o sujeito tiver mais de 40 anos, são como uma descoberta pessoal. Os gêneros breves são especialmente adequados para a sala de aula. O conto, a crônica, a canção, permitem que se faça uma análise rica e em 45 minutos.

CLL – O que há de gratificante no ensino de literatura?
Fischer - Isto é um segredo, mas que pode ser revelado. Na verdade, é o prazer de sempre ler de novo. Repassar um grande autor como Machado de Assis, permite novas descobertas. O professor de literatura tem esta alegria íntima e secreta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário