segunda-feira, 17 de junho de 2013

Causos Literários: Curiosidades

Hoje tem mais um post de curiosidades literárias. Os escolhidos da semana são:
    Mario de Andrade
  • Chefiou o Movimento Modernista no Brasil.
  • Autodidata escreveu seu primeiro livro aos 24 anos de idade: "Há uma gota de sangue em cada poema".
  • Mario de Andrade costumava trocar correspondências com Manuel Bandeira. Sobre "Macunaíma", o autor disse: "Ele não tem lógica. É justo nisso que está a lógica de Macunaíma; em não ter lógica".
  • Em 1938, ele reuniu uma equipe com o objetivo de catalogar músicas do Norte e Nordeste brasileiros. Dessa missão resultou um vasto acervo registrado em vídeo, áudio, imagens, anotações musicais, dos lugares percorridos.

    Este pode ser considerado como um dos primeiros projetos multimídia da cultura brasileira.
Graciliano Ramos
  • Graciliano Ramos foi descoberto para a literatura a partir dos relatórios que enviava ao Governo do Estado de Alagoas, quando era prefeito de Palmares dos Índios. Os relatórios chamaram atenção para seu modo literário de escrever.
  • "Memórias do Cárcere" retrata os 10 meses que passou na prisão, em Ilha Grande, no Rio de Janeiro. O livro teve sua versão para o cinema, um filme de Nelson Pereira, em 1984.
  • Graciliano Ramos tinha predileção pelas narrativas em primeira pessoa.
  • Grande parte de sua obra foi renegada por ele mesmo que muitas vezes apelava para pseudônimo.
  • Foi comerciante de tecidos.
  • Cuidava de quatro filhos do primeiro casamento com Maria Augusta Barros, de quem ficou viúvo em 1920. Casou-se em 1928 com Heloísa Madeiros.

    Antonio Callado

    • A peça "Pedro Mico" foi dirigida pelo jornalista Paulo Francis e teve o arquiteto Oscar Niemeyer como cenógrafo.
    • "Pedro Mico" também virou filme tendo Pelé como ator principal.
    • Seus primeiros romances, de cunho religioso, publicados na década de 50, não fizeram tanto sucesso.

Nelson Rodrigues
  • Quando Nelson Rodrigues tinha quatro anos de idade, uma vizinha invadiu a casa dele e disse para sua mãe: "Todos os seus filhos podem freqüentar a minha casa, menos o Nelson". A razão da proibição? Ela vira Nelson aos beijos com a filha dele, de apenas três anos, com ele sobre ela, numa atitude assim, assim... "Tarado!". 
  • Aos oito anos, participou de um concurso de redação. A melhor seria lida na classe. A professora ficou horrorizada com a do menino Nelson. Era uma história de adultério. A redação, apesar do espanto causado, não tinha como ser premiada. A professora inventou um empate e leu a outra composição. 
  • Na redação do jornal "O Globo", Nelson era chamado de "filósofo" pelos colegas. Ele tinha uma aparência desleixada, um só terno e não vestia meias. 
  • Aos 21 anos, arrancou todos os dentes e pôs uma dentadura por causa de um diagnóstico errado do médico. Nelson apresentava uma febre insistente, que era já o primeiro sintoma da tuberculose. O tal médico fez como era comum naquela época: colocou a culpa nos dentes e os arrancou numa tentativa de debelar a febre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário