sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Leitura do Fim do Mundo




Estivemos conversando com alguns escritores, críticos, jornalistas e professores a respeito de um tema bastante citado ultimamente: o fim do mundo, que acontece no dia 21 de dezembro de 2012 - mais conhecido como hoje. E, aproveitando os últimos instantes de existência - tanto virtual quanto real -, perguntamos para cada um deles qual seria sua última leitura (ou releitura) antes que o mundo acabe.

Pra abrir a sessão Leitura do Fim do Mundo, convidamos o escritor Charles Kiefer, o poeta Paulo Seben, a astróloga Amanda Costa, o professor Ruben Daniel Castiglioni e o escritor Caio Riter:



Charles Kiefer

Minha ultima leitura seria os 23 volumes do Zohar, o Livro do Esplendor, de Simon Bar Yochai, em hebraico e aramaico, com os comentários em inglês de Baal HaSulam, o Mestre da Escada.








Claudia Tajes

Eu leria, pela quarta vez, A Invenção da Solidão, do Paul Auster. Por tudo e por esta frase aqui: "Admitir, desde o inicio, que a essência desse projeto é o fracasso". A síntese perfeita do fim do mundo. Ou não.








Paulo Seben

50 poemas Escolhidos pelo Autor, de Manuel Bandeira, ou o livro do Eclesiastes, da Bíblia.







Ruben Daniel Castiglioni

Minha última (?) leitura seria, e está sendo, Dom Quixote. Os capítulos finais, quando o cavaleiro retorna a sua casa, cansado de aventuras. Parou de fingir que é louco e volta a ser Alonso Quijano, o Bom. E o narrador diz: "depois de recebidos todos os sacramentos e depois de ter abominado com muitas e eficazes razões os livros de cavalaria (...) entregou o espírito: quero dizer que morreu".

"Aqui jaz o forte Fidalgo
que a tanto extremo chegou
por valente, que se adverte
que a morte não triunfou (...)
Teve a todo mundo em pouco;
foi o espantalho e o coco
do mundo, em tal conjuntura,
que creditou sua ventura
morrer são e viver louco."




Caio Riter

Se o mundo acabar amanhã [hoje], hoje [ontem] mergulho mais uma vez no País das Maravilhas e embarco com a Alice no fantástico. Talvez seja boa forma dde fugir da concretude do desabamento e do fim da vida: busco refúgio no nonsense e me deixo desaparecer em meios a sustos, a encantamentos, a encontros inusitados com os seres criados por Carrol





Amanda Costa

Minhas últimas leituras, as releituras de sempre: Fernando Pessoa, na pele de Bernardo Soares, com O livro do desasossego e também, se é possível citar mais um, o I-Ching - O livro das mutações.

Sobreviveremos todos a mais este boato astral.



Nenhum comentário:

Postar um comentário