terça-feira, 4 de setembro de 2012

Lexicário - Carina Luft

Carina Luft nasceu em Montenegro, em 1971. Formou-se em Secretariado Executivo Bilíngue, com pós-graduação em Administração e Estratégia Empresarial. Ingressou na Oficina Literária de Charles Kiefer, em 2003. Integrou as antologias de contos 101 que Contam, em 2004, 103 que Contam e Porque hoje é sábado, em 2006, 104 que Contam, em 2008 e ficou em 1° lugar, na categoria conto, do I Prêmio AMES/Jornal Ibiá de Literatura, em Montenegro, no ano de 2005. Participou do curso A Construção do Romance com Luiz Antônio de Assis Brasil, em 2009 e Oficina de Romance com Luiz Ruffato, em 2012. É autora de duas peças de teatro e publicou seu primeiro romance, Fetiche, em 2010. Carina ainda escreveu artigos técnicos, crônicas, atuou como colunista em jornais e participou como comentarista em programas televisivos voltados para Cultura.
 


De qual palavra da língua portuguesa tu mais gostas? 

Saudade.

E qual palavra tu achas que deveria ser resgatada?

Debulhar: quando debulhamos estamos despindo, desfazendo ou desatando algo. Aquele que debulha  extrai, colhe e recolhe, ou, aquele que debulha destrói, detona, arrasa; independente do sentido positivo/negativo quem debulha vai com vontade, faz bem-feito, destrincha com empolgação. Não se debulha apenas uma espiga, debulha-se um livro, um jornal, uma pessoa.


Nenhum comentário:

Postar um comentário