quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Livro: a melhor companhia para os solteiros

Rumores na internet afirmam que hoje, 15 de agosto, é “o dia dos solteiros”. No entanto, quem se importa com essa data comemorativa que sequer está registrada nos calendários? Ora, os solteiros. Principalmente aqueles que prefeririam estar em outro estado civil... 

Mas deixemos de desânimo! O caro leitor que está solteiro sem programação para o resto da semana pode dar uma passadinha aqui, na Biblioteca Municipal Josué Guimarães, para conferir alguns exemplares que ilustram esse estilo de vida tão cobiçado pelas almas livres, mas tão rejeitado pelas carentes. 

Aqui, algumas das obras disponíveis na biblioteca: 




Amor Líquido
Zygmunt Bauman 

A modernidade líquida – um mundo repleto de sinais confusos, propenso a mudar com rapidez e de forma imprevisível – em que vivemos traz consigo uma misteriosa fragilidade dos laços humanos, um amor líquido. Zygmunt Bauman investiga nesse livro de que forma nossas relações tornam-se cada vez mais "flexíveis", gerando níveis de insegurança sempre maiores. 





Divã
Martha Medeiros 

Divã conta a história de Mercedes — uma mulher com mais de 40, casada, com filhos — que resolve fazer análise. O que começa como uma simples brincadeira acaba por se transformar num ato de libertação; poético, divertido, devastador. Marinheira de primeira viagem em terapia, a personagem encara o consultório como se fosse uma espécie de alfândega que vai dar o visto para ela passar para o lado mais oculto de sua personalidade.




Comer, rezar e amar
Elizabeth Gilbert 

Quando completou 30 anos, Elizabeth Gilbert tinha tudo que uma mulher americana moderna, bem-educada e ambiciosa deveria querer: um marido, uma casa de campo, uma carreira de sucesso. Mas não se sentia feliz; acabou pedindo divórcio e caindo em depressão. Comer, Rezar, Amar é o relato da autora sobre o ano que passou viajando ao redor do mundo em busca de sua recuperação pessoal. 





Ame e dê vexame
Roberto Freire 

Ame e dê vexame aborda as dificuldades de uma vida amorosa numa sociedade voltada para o que está em oposição aos sentimentos. São textos que, ao relatar experiências pessoais, encerram lições valiosas para quem precisa assumir a precariedade de uma existência que não descarte o amor. 




O diário de Bridget Jones
Helen Fielding

Escrito na forma de diário, o romance relata um ano na vida de Bridget Jones, uma solteira de trinta e poucos anos, que luta com todas as forças para emagrecer, encontrar um namorado, parar de beber e largar o cigarro. Uma história aparentemente comum, mas narrada em estilo impecável e com extrema sensibilidade pela jornalista britânica Helen Fielding. 




Sebastiana quebra o galho do homem solteiro 
Nenzinha M. Salles 

A vida do homem sozinho ficou mais fácil. Acabou o desespero de ter que arrumar uma companheira na proporção direta em que a pilha de roupa suja vai crescendo. Como uma fonte de consulta, o livro acompanha todas as fases de cada uma das operações domésticas básicas. 





Sebastiana quebra o galho da mulher independente 
Nenzinha M. Salles 

Dividido em sete capítulos temáticos — seu armário, beleza, lar doce lar, a casa, na cozinha, utensílios de mesa e cozinha e entrou um inseto na sua casa! —, o livro ajuda a mulher independente a cuidar dos mais diversos assuntos cotidianos. 


Então, depois de todas essas dicas, você ainda acha que existe melhor companhia para momentos de solidão do que um bom livro?

Nenhum comentário:

Postar um comentário