terça-feira, 24 de julho de 2012

Fischer inicia curso sobre o ensaísmo de Nelson Rodrigues

Iniciou-se hoje o curso Inteligência com dor: o ensaísmo de Nelson Rodrigues, ministrado por Luís Augusto Fischer. Neste primeiro dia, Fischer expôs como concebeu o trabalho e começou a estudar Nelson Rodrigues: quando mencionou para seu amigo Aníbal Damasceno Ferreira que precisava de um tema interessante para seu doutorado, este o sugeriu ler Nelson Rodrigues (sugestão que, a primeira vista, não agradou Fischer, visto que o autor era conhecido por ser favorável à ditadura).

Contou também um pouco da história de Nelson Rodrigues, esse escritor que se imaginava um Dostoiévski, mas que será analisado no curso, para além de suas crônicas, como um ensaísta. 






“Cada texto do Nelson parece ser um exercício de particularidade a respeito de um assunto geral”  
- Luís Augusto Fischer







Ao passo que lia para o público do curso a crônica intitulada O ex-covarde, o professor analisava detalhes do texto, como o estilo dramático-narrativo, a paragrafação, reiteração, presente histórico e o adiamento da ação (que costuma encher de expectativa ao mesmo tempo em que enrola tão bem o leitor), características encontradas nas obras de Nelson Rodrigues. 






“O ensaísta é um cara que corre riscos, diferente do cronista que só corre o risco do leitor não gostar”
Luís Augusto Fischer







No final deste primeiro encontro, Fischer discorreu sobre os diversos significados da palavra “ensaio” e explicou por que certos textos de Nelson Rodrigues poderiam se enquadrar nessa categoria literária. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário