quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Top 5 2011 - Mariana Bertolucci

Quem indica hoje os cinco livros mais marcantes lidos no ano passado é a escritora Mariana Bertolucci, vencedora do Prêmio Açorianos de Literatura 2011 na categoria Crônica com o livro Bailarina Sem Breu (Libretos, 88 páginas, R$ 26,90).

A lista da autora gaúcha demonstra sua sintonia e interesse com o universo feminino, além de expressar também sua experiência como colunista social e jornalista. Entenda as palavras que inspiram a dança da bailarina literária:

Por isso eu sou vingativa (L&PM Pocket, 128 páginas, R$ 28,00), de Claudia Tajes

Por isso eu sou vingativa é a história de oito vinganças como só Claudia Tajes sabe contar. Fazendo humor com a própria tragédia, a protagonista se vinga de oito homens que a fizeram sofrer. Sara Gomes foi obrigada pelo pai a deixar a faculdade de arquitetura para se dedicar à lavanderia da família. Eu adoro o jeito que a Claudia me faz rir quando eu a leio. Eu sou fã dessa escritora.

Fora de mim (Objetiva, 136 páginas, R$ 23,90), de Martha Medeiros

Em Fora de mim, Martha Medeiros fala sem receio sobre o desespero de terminar uma relação. A escritora jorra com muita realidade a sensação do fim da paixão. De ser trocada por outra e todas as suas dores “(...) a quietude amortizante de quem não respira, não pensa, não sente nada ainda”, como ela descreve a perda e inicia sua narrativa visceral, sincera e corajosa. Adorei. Me emocionei, li num tapa.

A Riqueza do Mundo (Record, 272 páginas, R$ 34,90), de Lya Luft
 
O mais recente da Lya Luft, A Riqueza do Mundo tem crônicas e ensaios da escritora gaúcha. Já está entre os mais vendidos. Eu gosto muito da maneira como a Lya enxerga o mundo e as complexidades das pessoas. Eu concordo com tudo o que ela pensa e escreve.

É Tudo Tão Simples (Nova Fronteira, 128 páginas, R$ 26,10), de Danuza Leão
 
Vinte anos depois de lançar Na Sala com Danuza, a colunista e escritora dá seus charmosos pitacos sobre a vida moderna. Falando sobre internet, celular, moda, comportamento, Danuza Leão dialoga com quem concorda com ela. Que deseja estar num mundo sem ostentação e regras tão rígidas de etiqueta, e acredita que para ser feliz o importante mesmo é ser simples e estar de bem com a vida.

O Livro do Boni (Casa da palavra, 352 páginas, R$ 33,50), de José Bonifácio de Oliveira Sobrinho

O Livro do Boni é um livro de memórias sobre a história da comunicação brasileira vindas de um de seus expoentes mais importantes. Tem mais de 350 páginas mas é tri divertido de ler e cheio de detalhes sobre os artistas, a teledramarturgia e o jornalismo, a Rede Globo e a própria vida, seu melhor roteiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário