quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Vem aí: lançamento de Estatuária e Ideologia

Passamos por elas todos os dias, mas raramente notamos as estátuas e edificações históricas espalhadas pela cidade. É o exato oposto daquilo a que se propõe o livro Porto Alegre 1900-1920: Estatuária e Ideologia (Editora da Cidade, 186 pág., R$25,00), de Arnoldo Doberstein, cujo lançamento ocorrerá dia 11 de novembro, às 19h30, na Praça Central da Feira do Livro.


Resultado de uma tese de Doberstein, Estatuária e Ideologia foi lançado pela primeira vez em 1992. Por muito tempo, tratou-se da melhor e mais completa fonte de estudos sobre o assunto. Nele, Doberstein analisa as motivações por trás das edificações históricas de Porto Alegre. Através do mapeamento desses monumentos, temos um retrato do cenário político e social da Capital nas duas primeiras décadas do século 20. Construções como a Prefeitura Municipal, o Palácio Piratini, a Biblioteca Pública e o Museu de Arte do Rio Grande do Sul são vistos como representativos da ideologia vigente na época – o positivismo. Os monumentos a Júlio de Castilhos e ao Barão do Rio Branco, bem como o túmulo de Pinheiro Machado, também são vistos a partir desse viés.

Mas Doberstein não se detém somente na faceta política da arquitetura. Na área do comércio, há também a confeitaria Rocco, a cervejaria Bopp (atual Shopping Total) e a Previdência do Sul (atual Banco Safra). Esses também prestam depoimento a respeito da época em que foram construídos.

A nova edição de Estatuária e Ideologia foi revista e atualizada pelo autor e conta com fotos recentes de todos os locais referidos, encartadas num caderno especial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário