terça-feira, 22 de novembro de 2011

Expedições Urbanas: Havana

O primeiro livro da coleção Expedições Urbanas (Record, 2010), de Airton Ortiz, é um dos três finalistas do Prêmio Açorianos de Literatura 2011 na categoria Crônica.


O décimo terceiro livro do jornalista Airton Ortiz, Havana, reúne 55 crônicas que revelam o cotidiano cubano sob uma perspectiva (modéstia à parte, gaúcha) alternativa às de extremos ideológicos já tão bem conhecidas: de direita, de esquerda, etc.

Enquanto descreve a injustiça do juízo em uma luta de box no Kid Chocolate, o autor deixa claro de qual lado está:

Os juízes cubanos eram mais sensatos: na dúvida, vejam só, davam a vitória aos compatriotas, e os torcedores reclamavam. Teve um caso em que a vitória do francês fois escancadalosa, mas o júri apontou vencedor o cubano. A torcida se levantou em vaias quando saiu o resultado. Começou a gritar o nome do compadre europeu até ele voltar ao ringue para ser aplaudido.

Juanito estava furioso. Desceu as arquibancadas, postou-se ao lado da corda que isolava o público do local onde ficava o ringue, e se demorou aos berros. Gritava que o rapaz tinha ganhado a luta. Coisa doida. Os policiais por ali e o povo a gritar. Como gritam os cubanos. Parecem querer colocar algo para fora.

(...)

Torcedores com mais juízo do que os juízes. Que país estranho.

Talvez não seja correto dizer o "lado" pelo qual Ortiz opta, mas sim a posição na qual se encontra. Por entre os torcedores, ao lado (aí com outro sentido) do "compadre" Juanito, o jornalista revela a perspectiva pela qual observa (e vive) tais experiências, combinando assim a vivência cubana com o modo de enxergar originalmente gaúcho.

Airton Ortiz é jornalista, escritor e fotógrafo. Já escreveu dez livros sobre suas viagens radicais e um romance. Como repórter, ganhou o Prêmio ARI de Jornalismo Cultural e foi finalista do Prêmio Esso de Jornalismo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário