terça-feira, 29 de novembro de 2011

Por que o Elvis não latiu?

Um dos três finalistas na categoria Infantil do Prêmio Açorianos de Literatura 2011 é Por que o Elvis Não Latiu?, de Robertson Frizero (texto) e Tayla Nicoletti (ilustrações). 

O livro trata de um momento bastante delicado na relação entre pais e filhos: como explicar o fato da morte a uma criança?Através de uma linguagem direta e, ao mesmo tempo, sensível e poética, Frizero e Nicoletti nos apresentam uma história corriqueira (um garoto e seu bicho de estimação) para falar sobre assuntos difíceis como o luto e saudade:
Sempre que o menino chegava da escola, ele largava a mão da mãe e corria até o portão de casa. Agarrava as grades de ferro e sacudia, sacudia, sacudia até ouvir o Elvis.

O Elvis andava meio doente e já não saía mais em disparada para derrubar o menino no jardim e encher o rosto dele de lambidas. Também já não corria atrás dos passarinhos, nem pulava para arrancar as roupas do varal quando o vento era mais forte. Mas o Elvis ainda latia muito quando ouvia o portão fazer barulho no final da tarde.
O menino sempre dizia que o Elvis era o seu melhor amigo.

Naquele dia, o menino sacudiu, sacudiu, mas o Elvis não latiu. Quando o menino fez barulho no portão, quem saiu de dentro da casa, com cara de mistério, foi o pai.

-- Mãe, por que o Elvis não latiu?

Nenhum comentário:

Postar um comentário