terça-feira, 22 de novembro de 2011

Criação Literária: Roberto Schaan Ferreira

Continuando nossa série de perfis com os autores finalistas na categoria Criação Literária do Prêmio Açorianos de Literatura 2011:

Roberto Schaan Ferreira escreve de madrugada. Um dos finalistas na categoria Criação Literária do Prêmio Açorianos de Literatura 2011, com o romance Por que os ponchos são negros, ele prefere trabalhar assim, antes do nascer do sol, o chimarrão em punho. "Quando clareia, a vida começa", diz.

Aos 53 anos, o juiz federal ainda não se considera um escritor de fato. "Há quatro anos venho exercendo a escrita durante a madrugada, enquanto o dia não vem. Hei de um dia conquistar a honraria desse título".

Sua primeira lembrança literária é, na adolescência, ter se aventurado por Don Segundo Sombra, de Ricardo Güiraldes, no original, mesmo sem dominar o castelhano. "Entendia um pouco, imaginava o resto".

Agora, para Roberto, inesquecível foi a obra de outro argentino: Jorge Luis Borges. Seu livro favorito de todos os tempos é Ficções, o mais clássico volume de contos do autor. Guimarães Rosa e Fernando Pessoa ("O sonho é ver as formas invisíveis/ da distância imprecisa", ele  gosta de citar) são outros nomes que figuram no panteão de Roberto.

Por que os ponchos são negros é o primeiro romance de Roberto, mas ele remonta à adolescência seu início como escritor. "Minhas primeiras linhas foram poemas adolescentes merecedores do fracasso tanto literário quanto romântico", confessa. Quando cursava direito em Passo Fundo, ele e mais alguns amigos lançaram um jornal chamado Ponta de Faca. A empreitada durou só três edições, mas, entre as matérias e reportagens, Roberto encontrou lugar para "alguma manifestação literária".

Na trama de seu romance, Roberto diz que tentou colocar "os labirintos do campo e os labirintos da cidade, certo retorno à animalidade quando a urgência é sobreviver, o apelo animal do sexo e o apelo humano do amor". A partir do dia 12 de dezembro, quando seu livro será ou não premiado, os leitores terão a chance de descobrir se foi o que ele conseguiu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário