segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Criação Literária: Eni Allgayer

Vamos começar aqui uma série de perfis com os autores finalistas da categoria Criação Literária do Prêmio Açorianos de Literatura 2011. Nossa primeira entrevistada é a funcionária pública Eni Allgayer, autora de Em busca do canto da sereia.

Intuitiva e apaixonada. É assim que Eni Allgayer, 65 anos, se define como escritora. Funcionária pública inativa da Prefeitura de Sapucaia do Sul, ela já participou de diversas oficinas literárias, tem cinco livros publicados e cerca de 30 contos premiados e publicados em coletâneas.

Pedimos que ela fizesse uma lista de suas preferências literárias, que você pode conferir abaixo:
Minha primeira lembrança literária é um gibi do Tio Patinhas, com o qual me alfabetizei aos 6 anos.
Meu livro inesquecível é O tempo e o vento de Érico Veríssimo.
Meu livro preferido é A Mulher Desiludida de Simone de Beauvoir
Meu livro inspirador é O velho e o mar de Ernest Hemingway.
Meu autor preferido é Machado de Assis.
Minhas primeiras linhas foram poemas na adolescência.
Em busca do canto da sereia é o primeiro romance de Eni. Segundo a autora, o livro "deve ser lido por pessoas de qualquer idade, pois relata as agruras de um órfão sonhador que não se conforma com a perda do pai,  mercador de especiarias, e a indiferença da mãe, uma mulher ensimesmada e religiosa. Vivendo em Faial, uma das ilhas de Açores, o protagonista sonha vir para o Brasil em busca de aventuras, enquanto trabalha numa ferraria. A obra tem como pano de fundo o início da migração açoriana para o sul do Brasil e a Guerra Guaranítica."

Nenhum comentário:

Postar um comentário