sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Finalistas Prêmio Telecom

O Prêmio Portugal Telecom de Literatura anunciou os dez finalistas deste ano. Entre os selecionados estão dois escritores portugueses e oito brasileiros. O Prêmio, realizado desde 2003, reconhece autores de países de língua portuguesa que tenham sido publicados no Brasil.

Os três vencedores serão anunciados em novembro. O primeiro lugar receberá R$ 100 mil, o segundo colocado, R$ 35 mil e o terceiro, R$ 15 mil.

O Autor: João Tordo

Nasceu em Lisboa a 28 de Agosto de 1975. Formou-se em Filosofia e estudou Jornalismo e Escrita Criativa em Londres e Nova Iorque. Trabalha como roteirista, depois de ter passado pelo jornalismo, tendo publicado, entre outros, n' O Independente, Sábado, Jornal de Letras, ELLE e a revista Egoísta. Escreveu, em parceria, o roteiro para a longa-metragem Amália, a Voz do Povo (2008). Foi vencedor do prêmio Jovens Criadores em 2001. Publicou quatro romances, O Livro dos Homens Sem Luz (2004), Hotel Memória (2007), O Bom Inverno (2010) e As Três Vidas (2009), romance pelo qual está sendo indicado ao Prêmio Telecom e que também venceu o Prêmio José Saramago 2009.


Obra indicada: As três vidas

João Tordo
Editora Língua Geral
608 páginas
R$ 49,00







O Autor: João Almino

Nasceu em Mossoró, no Rio Grande do Norte, em 1950. É escritor e diplomata. Autor do Quinteto de Brasília, composto pelos romances Idéias para Onde Passar o Fim do Mundo (indicado para o Prêmio Jabuti, ganhador de Prêmio do Instituto Nacional do Livro e do Prêmio Candango de Literatura), Samba-Enredo, As Cinco Estações do Amor (Prêmio Casa de las Américas 2003, também publicado em espanhol e em inglês); O Livro das Emoções (na seleção inicial do 7º Prêmio Portugal Telecom de Literatura 2009 e do 6º Prêmio Passo Fundo Zaffari & Bourbon de Literatura 2009) e Cidade Livre (editora Record, 2010; vencedor do 7.o Prêmio Passo Fundo Zaffari & Bourbon de Literatura 2011 e indicado ao Prêmio Telecom). Tem também escritos de história e filosofia política, que são referência para os estudiosos do autoritarismo e a democracia. Entre estes, incluem-se os livros Os Democratas Autoritários (1980), A Idade do Presente (1985), Era uma Vez uma Constituinte (1985) e O Segredo e a Informação (1986). É também autor de Naturezas Mortas - A Filosofia Política do Ecologismo (2004), e dos seguintes livros de ensaios literários: Brasil-EUA: Balanço Poético (1996), Escrita em contraponto (2008) e O diabrete angélico e o pavão: Enredo e amor possíveis em Brás Cubas (2009).

Obra indicada: Cidade Livre

João Almino
Editora Record
240 páginas
R$ 39,90




O Autor: Alberto Martins

Nasceu em Santos, em 1958. Formado em letras na Universidade de São Paulo, em 1981 iniciou seus estudos de gravura na ECA-USP. Em 1985, obteve uma bolsa de artes para o Pratt Graphics Center, de Nova York, passando então a se dedicar à xilogravura e, mais tarde, à escultura. De 1990 a 1998 foi um dos orientadores do ateliê de gravura do museu Lasar Segall. Seu livro Goeldi - História de horizonte ganhou, em 1996, o prêmio Jabuti de obra infanto-juvenil. Escreveu também Poemas (1990), Goeldi - História de horizonte (1996) e Charbonneau - Ensaio e retrato (1997).

Obra indicada: Em Trânsito

Alberto Martins
Companhia das Letras
112 páginas
R$ 35,00





O Autor: Marina Colosanti

Nasceu na cidade de Asmara, na Eritreia, em 26 de setembro de 1937. É escritora, jornalista e ilustradora. Escreveu para vários veículos, apresentou programas televisivos e criou alguns roteiros. Ao mesmo tempo, ela se devotou ao universo literário e lançou sua primeira obra, Eu Sozinha, em 1968. Seu primeiro volume poético, Cada Bicho seu Capricho, foi lançado em 1992. Dois anos depois ganhou o Prêmio Jabuti de Poesia pelo livro Rota de Colisão, de 1993. Sua obra infantil também foi contemplada por esta premiação, conquistada por Ana Z Aonde Vai Você?, de 1999. Uma Idéia toda Azul, seu primeiro livro infantil, de 1979, conquistou o prêmio O Melhor para o Jovem. Entre outras obras também estão Nada na manga, A morada do ser, Doze reis e a moça no labirinto do vento, O lobo e o carneiro no sonho da menina, Um amigo para sempre, Intimidade pública, Entre a espada e a rosa e Contos de amor rasgados. O indicado ao Prêmio Telecom é Minha Guerra Alheia, de 2010.

Obra indicada: Minha Guerra Alheia

Marina Colosanti
Editora Record
288 páginas
R$ 39,90





O Autor: Ricardo Aleixo

Nasceu em Belo Horizonte, em 1960. Publicou os livros Festim (1992), A roda do mundo (1996), Quem faz o quê? (1999), Trívio (2001), A aranha Ariadne (2003) e Máquina zero (2004). Tem poemas, artigos e ensaios publicados em jornais, revistas e coletâneas do Brasil e do exterior. Tem, no prelo, o livro Palavras a olhos vendo – Escritos sobre escritas, com o qual conquistou, em 2002, a “Bolsa para escritores brasileiros com obras em fase de conclusão”, oferecida pela Fundação Biblioteca Nacional. Integra, como performer e compositor, o Combo de Artes Afins Bananeira-ciência. Em 1999, apresentou em Belo Horizonte, no Rio de Janeiro e em Mariana a exposição individual “Objetos suspeitos”. Como performer, já se apresentou na Argentina, na Alemanha, em Portugal e na França. É curador do Festival Internacional de Arte Negra de Belo Horizonte/FAN e da Zona de Invenção Poesia & (ZIP) e editor da revista RODA – Arte e cultura do Atlântico Negro. É professor da FUMEC, responsável pela disciplina Design e Som. A obra indicada para o Prêmio Telecom é Modelos Vivos, de 2010.

Obra indicada: Modelos Vivos

Ricardo Aleixo
Editora Crisálida
155 páginas
R$ 32,00





O Autor: Elvira Vigna

Nascida no Rio de Janeiro em 1947, é diplomada em literatura pela Universidade de Nancy, França, e mestre em comunicação pela UFRJ. Escreve sobre arte contemporânea no site Aguarrás.
Sua estreia como escritora foi em 1978, com a obra Viviam como gato e cachorro, com texto e ilustrações de sua autoria. Nesse mesmo ano lançou A breve história de Asdrúbal, o terrível, do qual nasceu a série do monstrinho Asdrúbal. Seus prêmios: Prêmio Melhor Projeto Gráfico, APCA, 1979; Prêmio Jabuti-LIJ-Càmera Brasileira do Livro. Em 1984, participou da XI Bienal de Berna, Checoslováquia, como ilustradora de Histórias da Moóca, texto de Mino Carta. Em 1987, estreou como romancista com a obra Sete anos e um dia.

Obra indicada: Nada a Dizer

Elvira Vigna
Companhia das Letras
168 páginas
R$ 39,50






O Autor: Donizete Galvão

Nasceu em Borda da Mata, pequena cidade do Sul de Minas Gerais, em 24 de agosto de 1955. Nessa época, participa da antologia Veia Poética, editada por Wladir Nader, com os poetas que estavam começando nos anos 80. Publica também em antologias do Grupo Poeco da Universidade Mackenzie e no Suplemento Literário do Minas Gerais. Entre outros livros de sua autoria está Azul navalha (1988), premiado pela APCA - Associação Paulista de Críticos de Arte - com revelação de autor e indicado para o Prêmio Jabuti em 89; As faces do rio (1991); Do silêncio da pedra (1996); A carne e o tempo (1997), indicados para o Prêmio Jabuti 98; Ruminações (1999) e Mundo Mudo (2003). Depois de sete anos sem publicar, Galvão lança O Homem Inacabado (2010), obra indicada ao Prêmio Telecom.
Obra indicada: O Homem Inacabado

Donizete Galvão
Portal Editora
80 páginas
R$ 25,00




O Autor: José Castello

Nasceu no Rio de Janeiro, em 1951. Mestre em comunicação pela UFRJ, trabalhou em vários órgãos de imprensa, como a revista Veja, entre outros. Foi chefe da sucursal carioca da revista Isto É e editor do caderno "Idéias" do Jornal do Brasil. Atualmente é cronista e repórter literário de O Estado de São Paulo. Seu livro O Poeta da Paixão, biografia de Vinicius de Moraes, recebeu o prêmio Jabuti. É autor das obras Inventário das Sombras e Fantasma, O Poeta da Paixão, O Homem Sem Alma / Diário de Tudo, A Literatura na Poltrona. Ribamar é o indicado ao Prêmio Telecom.


Obra indicada: Ribamar

José Castello
Bertrand Brasil
280 páginas
R$ 37,00




O Autor: Rubens Batista Figueiredo

Nasceu no Rio de Janeiro, em 9 de fevereiro de 1956 é um romancista e tradutor brasileiro. Sua estréia como escritor deu-se em 1986, com a publicação do romance O mistério da samambaia bailarina. No ano seguinte, lançou seu segundo romance, intitulado Essa maldita farinha. Entre suas obras também estão A festa do milênio (1990), O livro dos lobos (1994), Contos de Pedro (2006). As palavras secretas, de 1998, ganhou o Prêmio Jabuti de Literatura de melhor livro de contos e o Prêmio Artur Azevedo, também na categoria contos. Ganhou novamente o Prêmio Jabuti em 2002, desta vez na categoria romance, com o seu quinto livro, Barco a seco. A obra Passageiro do Fim do Dia, publicada em 2010, foi o indicado ao Prêmio Telecom.

Obra indicada: Passageiro do Fim do Dia

Rubens Figueiredo
Companhia das Letras
200 páginas
R$ 40,00






O Autor: Gonçalo M. Tavares

Oriundo de Luanda, Gonçalo nasceu em 1970. Depois de passar toda sua juventude escrevendo furiosamente, publicou seu primeiro livro aos 31 anos. O resto, como se sabe, é história: com seus volumes de prosa e poesia, Tavares recebeu os mais importantes prêmios da língua portuguesa (Portugal Telecom em 2007; Prêmio José Saramago em 2005; Prêmio LER/Millennium BCP em 2004). Suas obras deram origem à diversas peças de teatro, vídeos e óperas. Mai 150 traduções estão sendo produzidas, a serem distribuídas em 32 países. Sobre ele, o colega José Saramago disse: "Gonçalo M. Tavares não tem o direito de escrever tão bem apenas aos 35 anos: dá vontade de lhe bater!".

Obra indicada: Uma Viagem à Índia

Gonçalo M. Tavares
Leya Brasil
480 páginas
R$ 44,90


Nenhum comentário:

Postar um comentário