quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Inspiração no copo

Conheça a bebida favorita de alguns grandes escritores.

Ernest Hemingway


Gostava de mojitos. Conheceu o drinque em Havana, Cuba, cidade que adorava e que o inspirava. Outros dizem que ele gostava mesmo é de daiquiris

"Beber é uma maneira de acabar o dia."

Charles Bukowski


 
Bebia de tudo, mas há boatos de que preferia a seguinte combinação: uma dose de whisky seguida de um bom copo de cerveja.

"Esse é o problema com bebida, eu pensava enquanto me servia com mais uma dose. Se algo ruim acontece, você bebe em uma tentativa de esquecer; se algo de bom acontece, você bebe para celebrar; e, se não acontece nada, você bebe para que algo aconteça."
  
Oscar Wilde


O autor d'O Retrato de Dorian Gray era adorador da fada verde, conhecida como absinto pelos menos chegados. É uma bebida destilada composta de anis, funcho e várias outras ervas. Tem entre 40% e 85% de álcool em sua composição. Diz-se que tem poder alucinógeno.

"Eu fiz uma descoberta importante: que o álcool, tomado em quantidade suficiente, produz todos os efeitos da intoxicação.

Carson McCullers


Gostava de misturar chá com xerez  (um tipo de vinho fortificado, típico da Espanha), e batizou a mistura de "Sonnie boy".

"Estou bebendo chá quente e não estou fazendo muita coisa."

F. Scott Fitzgerald



F. Scott dizia gostar do gim porque a bebida não é perceptível no hálito.
 
"Primeiro você toma uma bebida, depois a bebida toma uma bebida, depois a bebida toma você." [Imaginem a quantidade de álcool que inspirou essa frase].
 Anne Sexton

Curtia Dry Martinis. Comentam por aí que ela e Sylvia Plath, depois das aulas de poesia em Boston, fugiam para o Ritz para entornar uns copinhos. 

Oh thumb, /I want a drink /it is dark, /where are the big people, /when will I get there…?” [Oh, polegar, /Eu quero uma bebida /Está escuro /Onde estarão as pessoas grandes /Quando eu chegar lá?]

William S. Burroughs


Gostava de vodca com Coca-Cola. Dizem que batizava muito bem os copinhos com refrigerante, mas que, depois de toda a heroina, nada surtia muito efeito.

"Nossa droga nacional é o álcool. Nós tendemos a considerar o uso de qualquer outra droga com um horror especial."

Dylan Thomas


Curtia um whisky cowboy, isto é, puro. E tanto quanto aguentava. Não foi à toa que faleceu em 1953, depois de entornar cerca de 18 doses da bebida.

"Um alcoólatra é alguém de quem você não gosta, mas que bebe tanto quanto você."

Dorothy Parker


Gostava muito de um drinque chamado Whiskey Sour, com uísque, suco de limão e açúcar.

I wish I could drink like a lady /I can take one or two at the most /Three and I’m under the table/ Four and I’m under the host.” [Eu gostaria de poder beber como uma mulher /Eu posso tomar um ou dois no máximo /Com três eu estou debaixo da mesa /Com quatro eu estou debaixo do anfitrião.]

William Faulkner


Fã do drinque Mint Julep, era um daqueles escritores que acreditavam escrever melhor depois de algumas doses de whisky, mentalidade responsável por uma garrafa continuamente sobre sua mesa de trabalho. 

"Não há nada como whisky ruim. Simplesmente acontece de alguns whiskys serem melhores do que outros. Mas um homem não deve brincar com a bebida até os cinquenta. Depois, ele é um idiota se não o fizer."

Jack Kerouac


O drink preferido de Jack Kerouac era Marguerita.

"Quando fiquei mais velho eu me tornei um bêbado. Por quê? Porque eu gosto de êxtase da mente. "

Fontes: Jornal de Gramado e Rehab Times

Nenhum comentário:

Postar um comentário