segunda-feira, 18 de julho de 2011

Ilha deserta com Juarez Fonseca

Parte da programação do 6º Festival de Inverno, o curso Caio F.: 15 Anos Depois (cuja inscrição é gratuita) contará com várias personalidades que travaram conhecimento com o escritor gaúcho. Dentre elas, o jornalista e crítico musical Juarez Fonseca irá falar sobre a época em que Caio foi seu colega de trabalho, na Zero Hora.

Pedimos a ele que elegesse um livro definitivo, com o qual passaria a vida inteira numa ilha deserta. Confira a resposta de Juarez abaixo:
Eu levaria as Obras Completas, de Jorge Luis Borges. Primeiro, porque ele é um escritor surpreendente, que está sempre provocando a curiosidade do leitor. O texto é muito exigente, tanto na linguagem quanto na trama, está sempre provocando a inteligência do leitor. Além, é claro, do fato de ele ser o melhor contista de todos os tempos.
O livro
Publicada no país pela Editora Globo (hoje, seus livros são lançados pela Companhia das Letras) a partir de 1999, ano do centenário do autor, o tamanho da coleção Obras Completas é inversamente proporcional à influência por ela exercida na literatura latino-americana e mundial. Dotados de uma erudição inacreditável, um senso de humor mordaz e um vigoroso senso de aventura, os contos, poemas e ensaios presentes nesses volumes podem ser considerados precursores dos principais estilos literários que surgiram no continente durante as décadas seguintes, fato atestado por escritores tão opostos quanto consagrados como Gabriel García Márquez e Roberto Bolaño.

Trecho

O labirinto
Este é o labirinto de Creta. Este é o labirinto de Creta cujo centro foi o Minotauro. Este é o labirinto de Creta cujo centro foi o Minotauro que Dante imaginou como um touro com cabeça de homem e em cuja rede de pedra se perderam tantas gerações. Este é o labirinto de Creta cujo centro foi o Minotauro, que Dante imaginou como um touro com cabeça de homem e em cuja rede de pedra se perderam tantas gerações como Maria Kodama e eu nos perdemos. Este é o labirinto de Creta cujo centro foi o Minotauro, que Dante imaginou como um touro com cabeça de homem e em cuja rede de pedra se perderam tantas gerações como Maria Kodama e eu nos perdemos naquela manhã e continuamos perdidos no tempo, esse outro labirinto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário