sexta-feira, 3 de junho de 2011

Emílio no Livros que abalaram o mundo

Amanhã é dia de semimário aqui no Teatro Renascença. Para ter o gostinho da palestra de Voltaire Schilling, ele adianta:

"Emile, publicado em 1762, foi um livro revolucionário. Jean Jacques Rousseau nele expôs sua filosofia da 'bondade natural do homem', negando assim o primado religioso que dizia que os seres humanos nasciam em pecado. Para ele a salvação não estava na religião mas sim na educação e quanto mais natural ela fosse melhor seria para o individuo. A idéia da bondade natural foi o principal motor dos movimentos de reforma que surgiram depois da morte de Rousseau. Para conseguirmos a felicidade do homem, desvirtuada pela sociedade corrupta, era preciso reformar a sociedade, torna-la condizente com o intimo bondoso e puro dos seres humanos. Ele pode ser considerado um dos precursores das doutrinas sociais igualitárias e democráticas que emergiram com a revolução Francesa de 1789."


Nenhum comentário:

Postar um comentário