quarta-feira, 4 de maio de 2011

“Quando eu morrer, não quero choro nem vela...”

74 anos depois de sua morte, é "sem choro nem vela", que a CLL homenageia aquele que "mudou a conduta" da Música Popular Brasileira: Noel Rosa.
Em seus 26 anos de vida e apenas nove de carreira, Noel "correu de vento e popa" e compôs mais de 300 sambas que "mudaram a conduta" da Música Popular Brasileira. Dentre suas mais famosas composições estão Com que roupa?, Fita Amarela, O x do problema e Conversa de Botequim.


O mundo me condena, e ninguém tem pena
Falando sempre mal do meu nome
Deixando de saber se eu vou morrer de sede
Ou se vou morrer de fome
Mas a filosofia hoje me auxilia
A viver indiferente assim
Nesta prontidão sem fim
Vou fingindo que sou rico
Pra ninguém zombar de mim
Não me incomodo que você me diga
Que a sociedade é minha inimiga
Pois cantando neste mundo
Vivo escravo do meu samba, muito embora vagabundo
Quanto a você da aristocracia
Que tem dinheiro, mas não compra alegria
Há de viver eternamente sendo escrava dessa gente
Que cultiva hipocrisia

(Noel Rosa, Filosofia)


Leia mais:


A vida do “Poeta da Vila” foi tema de diversas biografias. A mais polêmica, Noel Rosa - Uma Biografia foi lançada em 1990 e vendeu mais de 15 mil cópias. Apesar do sucesso, a família do cantor impediu que houvesse uma segunda edição, que fez com que o livro escrito por João Maximo e Carlos Didier se tornasse objeto de desejo de colecionadores e seu preço hoje seja de, em média, R$700,00.


Noel Rosa - O Poeta do Samba e da Cidade, André Diniz (Casa da Palavra; 2010; 160ps.; R$85,00)

Noel Rosa - Poeta da Vila, Cronista do Brasil, Luiz Ricardo Leitão (Expressão Popular; 2009; 200ps; R$15,00)

Noel - O Menino da Vila, Clovis Bulcão e Márcia Bulcão (Escrita Fina; 2010; 64ps; R$29,90)


Nenhum comentário:

Postar um comentário