sexta-feira, 6 de maio de 2011

Machado encanta Woody Allen

O grande diretor Woody Allen colocou Memórias Póstumas de Brás Cubas entre suas 5 obras preferidas. Em um artigo publicado no site do jornal britânico The Guardian, Allen declarou:
"Fiquei chocado ao ver como é encantador. Não conseguia acreditar que ele viveu há tanto tempo, como ele viveu. Você pensaria que foi escrito ontem."
"Você poderia pensar que ele o escreveu ontem. É tão moderno e divertido. É um assunto do qual eu gosto e que foi tratado com grande perspicácia, grande originalidade e sem sentimentalismo."


Veja a lista de Woody Allen:
1- O Apanhador no Campo de Centeio, de JD Salinger (1951)
2 - Really the Blues, de Mezz Mezzrow and Bernard Wolfe (1946)

3 -The World of SJ Perelman, de SJ Perelman (2000)

4 - Memórias póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis (1880)

5 - Elia
Kazan: A Biography, de Richard Schickel (2005)


Leia o
artigo na integra.


Woody Allen
Allan Stewart Königsberg é cineasta, roteirista, escritor, ator e músico americano. Já publicou 12 livros e sua filmografia tem mais de 50 produções, entre eles Annie Hall (traduzido para o português como Noivo neurótico, noiva nervosa) que lhe rendeu os Oscars de melhor filme, direção e roteiro original e Midnight in Paris (traduzido para o português como Meia-noite em Paris) que abrirá o festival de Cannes deste ano e tem a participação de elenco da primeira-dama francesa, Carla Bruni.

Memórias póstumas de Brás Cubas
Desenvolvido a princípio como folhetim na Revista Brasileira, em 1880, Memórias Póstumas de Brás Cubas foi publicado como livro no ano seguinte. Com a obra, Machado de Assis inaugurou o Realismo no Brasil, dando fim à narração linear e objetivista, para retratar o Rio de Janeiro e sua época com pessimismo, ironia e indiferença. Críticos escrevem que, com esse romance, Machado de Assis precedeu elementos do Modernismo e do realismo mágico de escritores como Jorge Luis Borges e Julio Cortazar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário