sexta-feira, 13 de maio de 2011

Literaturas da Meia Noite

O fantástico, o misterioso e o assustador são temas recorrentes na literatura desde a sua origem, assim como todos os temas que mais inquietam o ser humano, tais como o amor e a morte. Na literatura mundial, alguns autores consagraram-se junto ao imaginário popular, com suas obras e criaturas tão assustadoras quanto fascinantes.

No século XIX, o movimento romântico inglês deu origem ao monstro Frankenstein, pelas mãos da escritora Mary Shelley. Escrito quando Mary tinha apenas 19 anos, o romance de terror gótico foi publicado em 1818, sem crédito para a autora na primeira edição. Conforme consta no prefácio à terceira edição, o romance teria nascido durante um período em que Mary, juntamente com seu furuto marido Percy Shelley e os amigos e também escritores John Polidori e Lord Byron estavam hospedados à margem do lago Léman.


Por sugestão de Byron, cada um deles deveria escrever um conto e, desta forma, surgiu não somente a criatura do Dr. Vitor Frankenstein, como também a primeira história ocidental contendo o vampiro como conhecemos hoje, escrita por Polidori. Este conto seria aproveitado décadas mais tarde por Bram Stoker, na criação de uma das criaturas mais fascinantes da literatura: o Drácula.
Publicado em 1897, Drácula de Bram Stocker é ainda o mais famoso conto de vampiros da literatura, ainda que o tema fascine gerações, mantendo sua fama na atualidade.


Escritoras como Anne Rice, autora de Entrevista com o Vampiro e A Rainha dos Condenados, Stephenie Meyer com a saga Crepúsculo e Lisa Jane Smith com os Diários do Vampiro, assim como o escritor brasileiro André Vianco, que emplacou a marca de 90.000 exemplares vendidos com a obra Os Sete, são exemplos da verdadeira imortalidade dos habitantes das sombras aos longo das últimas décadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário