terça-feira, 17 de maio de 2011

Literatura para além da obrigação

A CLL inaugura hoje a seção Literatura para Além da Obrigação. Toda semana aqui no blog, uma leitura interessante sobre os livros que fazem parte da lista de leituras obrigatórias dos principais vestibulares gaúchos. O objetivo é levar até os vestibulandos e leitores em geral, curiosidades e maiores informações sobre cada um dos autores e obras que, apesar da carga negativa de uma imposição para o vestibular, certamente oferecem motivos de sobra para encantar o leitor, provando que para além da obrigação, os livros sempre podem ser – e nos tornar – mais interessantes.

E para começar, apresentamos O Uraguai, de Basílio da Gama

Escrito em 1769, esta obra conta a história de uma guerra entre os habitantes das Missões Jesuíticas no Rio Grande do Sul, contra os portugueses que, para executarem o Tratado de Madri, lutaram pela expulsão dos jesuítas. Nesta guerra aparecem figuras reais de nossa história, como o general português Gomes Freire de Andrade, colaborador do Marquês de Pombal na campanha contra a Companhia de Jesus, e Sepé Tiaraju, índio guerreiro morto em combate e considerado herói das batalhas guaraníticas.

Em relação ao autor, José Basílio da Gama, nascido na atual Tiradentes, em Minas Gerais, filho de pai português e mãe brasileira, é interessante notar que, sendo protegido do brigadeiro Vasco Alpoim, outra das personalidades reais mencionadas na obra, foi por este indicado para ingressar como noviço, aos 16 anos, na Companhia de Jesus. Segundo consta em registros históricos, esse ingresso na Companhia, mais do que lhe proporcionar uma formação intelectual, garantiria que Basílio escapasse de morrer na miséria.

Por outro lado, apesar de acolhido junto aos jesuítas, Basílio teria sido expulso pelo menos duas vezes em função das diversas sátiras escritas contra seus 'protetores'. Desligando-se enfim da Ordem Jesuítica e partindo para a Itália, onde participou da Arcádia Romana sob o pseudônimo de Termindo Sipílio, Basílio é acusado de ligação com os jesuítas e tem sua prisão decretada pelo então primeiro-ministro português Sebastião José de Carvalho e Mello, futuro Marquês de Pombal. Para escapar da prisão, Basílio escreve um epitalâmio (elogio público e solene em ocasião de núpcias) para a filha do primeiro-ministro, no qual elogiava principalmente o pai na noiva. Após uma tão bem escrita homenagem, Basílio é libertado e transformado em secretário protegido do primeiro-ministro.

Por este motivo, O Uraguai é também uma obra em que o autor presta, em diversas passagens, homenagens a seu protetor e respectivos familiares. O próprio Francisco Xavier de Mendonça Furtado, mencionado na capa do livro, não é ninguém menos que irmão do futuro Marquês do Pombal.

Já em relação a obra, além de se tratar de um poema épico – conta a história de uma guerra e dos grandes feitos de seus heróis – temos aí a primeira obra da literatura brasileira a narrar, de forma romanceada, fatos importantes da história gaúcha. Assim, além de descrições dos pampas e das reduções jesuíticas, temos a narração de um frustrado ataque dos índios missioneiros ao forte português da cidade de Rio Pardo, que havia sido construído em posição estratégica às margens do rio Jacuí e ficou historicamente conhecido como Tranqueira Invicta.

Considerado na literatura como uma obra característica do Arcadismo, O Uraguai é também um marco no nacionalismo literário brasileiro por ser a primeira obra a apresentar a figura do índio entre os personagens principais. Já em relação à linguagem, por ser um texto característico do século XVIII, pode apresentar dificuldades de interpretação ao leitor iniciante. Essas dificuldades, porém, podem ser facilmente vencidas com a leitura de obras comentadas, como a realizada pelo professor de literatura brasileira da Ufrgs, Paulo Seben.

O Uraguai - Coleção Clássicos Comentados - Leitura XXI, 104 páginas, R$ 16,00


"O leitor vai encontrar, aqui, uma narrativa cheia de episódios, rica e colorida, recheada de lances heróicos e até humorísticos, em que o original ficou inteiramente respeitado. Você quer conferir? Leia O Uraguai, tal como o escreveu Basílio".
Luiz Antonio de Assis Brasil



Esse livro está disponível em nossa biblioteca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário